Ib Freight





Noticias > Auditores da Receita paralisam atividades na Alfândega de Santos

IB Freight - 04/10/2016

Porto e delegacia da RF estão com os serviços afetados nesta terça (4).

Eles reclamam da demora na votação do projeto de lei que trata do reajuste.

 

Os auditores-fiscais da Receita Federal em Santos, no litoral de São Paulo, decidiram paralisar as atividades nesta terça (4) e quarta-feira (5). Segundo o sindicato, os trabalhadores reclamam da demora na votação do projeto de lei que trata do reajuste salarial da categoria e de normas internas do órgão, que deve será apresentado nesta terça-feira.

Nesta manhã, os auditores-fiscais se reuniram no auditório da Alfândega para conversar sobre a paralisação das atividades. No Porto de Santos, somente medicamentos, equipamentos hospitalares, animais vivos e perecíveis são liberados. Já na Delegacia da Receita Federal foi implantada a operação “Meta Zero” e o único serviço que funciona é o atendimento ao contribuinte.

Em Santos, há cerca de 180 auditores, sendo 120 na Alfândega e 60 na Delegacia da Receita Federal. O sindicato estima que 90% da categoria aderiu à paralisação desta semana, com 30% se mantendo disponível para atender emergências e casos especiais. Além da paralisação das atividades, diversos auditores que ocupam cargos de chefia ameaçam entregar seus cargos caso o Projeto de Lei 5.864/16 não seja aprovado.

A cada dia de paralisação no porto de Santos, a estimativa é que ocorra o atraso de cerca de R$ 100 milhões na arrecadação e 1000 contêineres parados por dia.

 

 

Reivindicações

De acordo com o presidente do Sindicato dos Auditores-Fiscais (Sindifisco) em Santos, Renato Tavares, os trabalhadores fizeram um acordo com o governo em março deste ano, onde ficou acertado um reajuste de 21,3% divididos em quatro anos. Porém, para que o acordo entre em vigor, o Projeto de Lei 5.864/16, que trata do reajuste salarial da categoria e de normas internas do órgão, precisa ser aprovado. A apresentação do relatório do PL acontece nesta terça-feira.

"Nos resolvemos fazer a paralisação hoje como em todo o país porque hoje está sendo lido a prévia do nosso projeto de lei que trata do acordo salarial. Ele será votado amanhã por essa comissão especial e pode ir para o Senado. Só que há uma demora nessa aprovação. Se não for votado, pode ser adiado para fim de outubro ou novembro. Nossa paralisação é em prol do PL, para que se seja aprovado e votado amanhã", afirmou Tavares.

Ainda segundo o sindicato, a continuidade ou término da paralisação não só em Santos, mas em todo o Brasil, fica condicionada ao resultado da votação do Projeto de Lei.

 

Fonte: G1